Com prazo de entrega mantido, obra da Euler de Azevedo recebe desvio

Campo grande (MS) – O lote urbano também chamado de lote 1 da obra da readequação de capacidade de tráfego da Avenida Euler de Azevedo recebeu esta semana um desvio, no trecho próximo do Tênis Clube. Segundo o secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, a parte de drenagem da obra dos dois lotes está quase toda pronta, faltando apenas a ampliação da galeria do Córrego Imbirussu e um complemento de sarjeta no segundo lote. “Neste trecho estamos fazendo um alargamento da galeria já existente para que possamos fazer a ampliação da pista. Estamos trabalhando para fazer tudo mais rápido possível e com responsabilidade para trazer o menor prejuízo para a população, pois aqui é uma área urbana e de alto fluxo de veículos, portanto temos que fazer tudo com cautela e de acordo com o trânsito”, explicou durante entrevista coletiva concedida nesta manhã (9), no desvio da obra.

IMG_3571 (Copiar)

Com relação ao cronograma da obra e prazo de entrega, Miglioli foi incisivo. “Vamos trabalhar para entregá-la dentro do prazo, embora tenhamos tido uma certa demora na terraplanagem devido ao período das chuvas. Mas nós tivemos esse cuidado e o próprio fluxo de veículos mostra porque não quisemos avançar no período chuvoso”, ressaltou. O prazo para entrega da obra  é final do julho deste ano.

A obra conta atualmente com duas interdições no lote 1. O primeiro de cerca de 200 metros está entre o início da Avenida e o Tênis Clube. Ele foi necessário para ampliação da galeria de drenagem do Córrego Imbirussu e deve durar cerca de 60 dias. O segundo desvio é logo acima, próximo à Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems), onde está interditada meia pista no trecho entre a Universidade e o Detran. Neste caso, segundo a Coordenadoria de Empreendimentos Viários (Coemv) da Agesul, foi realizado para ampliação da pista e o prazo de interdição será de até 20 dias.

A obra

A readequação da capacidade de tráfego da Avenida Euler de Azevedo foi orçada para receber investimentos de R$ 14,7 milhões. Para dar celeridade aos trabalhos, a obra foi dividida em dois lotes: o rural e o urbano. O primeiro conhecido como urbano segue do entroncamento da Avenida Presidente Vargas até a Cepaer e o segundo da Cepaer ate o entroncamento da MS-080 na saída para Rochedo. Ao todo serão revitalizados 4,5 quilômetros, que além de serem duplicados contarão com ciclovia. A ordem de serviço da revitalização aconteceu no final de julho de 2016 e com as modificações a obra precisou de um aditivo de R$ 1,4 milhão, passando o orçamento de R$ 14,7 milhões para R$ 16,1 milhões.

Raquel Pereira 

Fotos: Moisés Silva