Obra de pavimentação na MS-223 segue acelerada e cenário começa a mudar

Categoria: Geral | Publicado: terça-feira, março 3, 2020 as 08:57 | Voltar

Campo Grande (MS) - As obras de pavimentação da MS-223, que liga Figueirão a Costa Rica, seguem em ritmo acelerado e um dos trechos da rodovia já está com mais de 60% dos serviços concluídos.  Com exatos 61 quilômetros de extensão, a MS está recebendo asfalto, terraplenagem e drenagem, o que substituirá a estrada de terra por um cenário que dará mais segurança aos viajantes. O empreendimento ainda amplia a malha viária estadual pavimentada e abre uma nova opção de escoamento da produção regional – boi, grãos, milho, cana-de-açúcar e algodão.

A Agência de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul (Agesul), responsável pelo projeto, dividiu a pavimentação em dois trechos: de 32,5 km, no sentido de Costa Rica para Figueirão, e 28 km, no sentido oposto.

A maior extensão  já está com 60% dos serviços realizados e a previsão de entrega é agosto deste ano. Já a pavimentação dos 28,5 quilômetros deve ser entregue em janeiro de 2021, e 40% dos trabalhos já foram finalizados. O investimento total da obra, oriundo do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul), é de mais de R$ 88 milhões.

MS-223 recebe pavimentação.

A chegada da infraestrutura rodoviária abre uma nova fronteira agropecuária, com a introdução de lavouras de grãos associadas à pecuária e cana-de-açúcar, hoje predominantes no nordeste do Estado. Para o secretário-adjunto Luis Roberto Martins de Araújo, é uma obra estratégica do ponto de vista da logística. “Com certeza, vai alavancar o escoamento da produção da região, gerando desenvolvimento, mais empregos”, pontuou, durante a inspeção ao trecho Costa Rica-Figueirão. “Além de fomentar a economia de vários municípios, o asfalto reduzirá distâncias e tempo, incidindo no barateamento do frete e custo de produção”, completou.

Enquanto o projeto de pavimentação da MS-223 estava em processo de licitação, a rodovia, que era quase intransitável, recebeu revestimento de cascalho executado pela Agesul, garantindo trafegabilidade o ano todo.

 

Luciana Brazil, assessoria de imprensa Seinfra/Agesul.

Foto: Divulgação

Publicado por: dionizio@seinfra.ms

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.