Viabilidade do Corredor Bioceânico avança com reunião na Argentina

Categoria: Notícias | Publicado: segunda-feira, junho 4, 2018 as 16:58 | Voltar

Campo Grande (MS) –O Governo de Mato Grosso do Sul participa da sexta reunião do Grupo de Trabalho do Corredor Bioceânico Brasil-Chile, uma nova alternativa rodoviária para exportação dos produtos do Estado pelos portos do Pacífico interligada com o Paraguai e Argentina. O encontro acontece em Salta, região de potencial econômico e turístico da Argentina, com a presença do secretário de Estado de Infraestrutura de Mato Grosso do Sul, Helianey Paulo Silva.

A reunião segue até esta terça-feira (5.6) e objetiva a apresentação de uma prestação de contas de cada país quanto às metas a serem cumpridas, no caso do Brasil, a conclusão do projeto de engenharia para construção da ponte de concreto no rio Paraguai, entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta (Paraguai). O coordenador de Assuntos Econômicos Latinoamericanos do Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Parkinson, representa o País.

“É um encontro de suma importância, onde cada um dos países que integram o corredor apresentam o quanto evoluíram dentro de um planejamento envolvendo obras de engenharia e questões aduaneiras e acadêmicas para tornar esta rota concreta”, informa o secretário.

Ponte internacional e asfalto

O Corredor Bioceânico, chamado de Trópico de Capricórnio pelos argentinos, terá um traçado de 2.396 km e duas obras são essenciais: a ponte sobre o rio Paraguai, cujo projeto está sendo finalizado pelo Ministério dos Transportes para licitação, e a pavimentação de 500 km da rodovia do chaco paraguaio, de Carmelo Peralta à fronteira com a Argentina. A ponte internacional será construída pelo Brasil e Paraguai ao custo de R$ 270 milhões.

João Carlos Parkinson, do Ministério das Relações Exteriores, fala durante o encontro 

Além de investir na metade do valor da ponte, que terá extensão de 500 metros, o governo brasileiro construirá ainda um contorno rodoviário interligado à BR 267, em Porto Murtinho, com 11,9 km, sendo 10,457 km de pista e l.460 metros em pequenas pontes de vazão necessárias no trecho. A construção da ponte já foi aprovada pelo Congresso Nacional e está em andamento o estudo de impacto ambiental coordenado pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems).

As questões fronteiriças

O encontro do Grupo de Trabalho Interinstitucional Rota de Integração Latinoamericana (Rila) foi aberto às 9h de hoje, no Grand Bourg, em Salta, pelo secretário de Planejamento Territorial e Coordenação de Obras Públicas do Ministério de Interior da Argentina, Fernando Alvarez de Celis. A programação do dia inclui exposições do representante do Brasil, João Carlos Parkinson, do Paraguai, Argentina e Chile.

Os temas da apresentação de cada país incluem painéis sobre logística e transporte, comércio (capacidades e fluxos, produtos, tarifas e áreas industriais), implementação de procedimentos simplificados e operacionais de fronteira (desembaraços aduaneiros) e obras públicas. Presentes também à reunião, universidades dos quatro países debaterão questões como desenvolvimento social, cultural e acadêmico.  

Sílvio Andrade – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Fotos: Divulgação

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.